Plano Museológico

O que é um Plano Museológico?

O Plano Museológico é a ferramenta básica do planejamento estratégico do museu. Ele dá subsídios conceituais e técnicos, e permite a definição, o ordenamento e a priorização dos objetivos e das ações de cada uma de suas áreas de funcionamento.

É no Plano Museológico que, entre outras coisas, o museu define sua missão e função na sociedade, seus públicos, seus espaços e programas institucionais, de acervo, gestão de pessoas, comunicação, pesquisa, educativo, de financiamento e segurança.

 

Planos do MHCRJ

Regulamento de 1944

O primeiro documento a “organizar o projeto para o Museu Histórico da Cidade” foi o Regulamento do Museu da Cidade do Rio de Janeiro, criado por Gustavo Barroso e publicado em 1944 nos Anais do Museu Histórico Nacional, vol. 5 (p. 180 a 190). O documento afirmava que a finalidade do museu era “recolher, classificar, conservar, ordenar e expor objetos, relíquias, mapas e documentos de valor histórico, artístico e técnico relativos à história da cidade do Rio de Janeiro, suas grandes individualidades e acontecimentos notáveis”. Clique aqui para acessar o pdf com a íntegra do Regulamento.

A Lei nº 11.904, que institui o Estatuto de Museus, diz em sua Seção III, Art. 44, que é “dever dos museus elaborar e implementar o Plano Museológico”. Em cumprimento a esta determinação, o MHCRJ vem desenvolvendo seu novo Plano Museológico, com o auxílio de sua equipe técnica, especialistas e consultores em diversas áreas.

Novo Plano Museológico do MHCRJ

Para o atendimento e em conformidade com a Portaria Normativa do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN de nº 1 de 05/07/2006 (D.O.U. de 11/07/2006) e com o Decreto nº 8.124 de 17/10/2013 (D.O.U. de 18/10/2013), o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro – MHCRJ, através  deste primeiro esboço do Plano Museológico, propõe a consolidação do compromisso assumido pelo MHCRJ ao integrar o Sistema Brasileiro de Museus - IBRAM.

O Plano Museológico do Museu está atualmente em construção e será relativo ao período de 2017 a 2020. A proposta a ser apresentada no final de 2016 será fruto das reuniões e reflexões ocorridas desde 2015, envolvendo tanto a equipe técnica e administrativa do museu, quanto diferentes segmentos da sociedade civil e instituições culturais, de modo a atender às especificidades de um museu histórico, porém, contemporâneo.

Com cerca de 24.000 bens culturais, o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro é a instituição responsável pelo maior conjunto de bens museológicos sob a guarda da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Seu acervo está em frequente expansão por meio de doações e aquisições da Prefeitura e representa  um importante e atualizado registro do desenvolvimento urbanístico, político e social da cidade.

O Plano Museológico do Museu irá contemplar os seguintes programas, que deverão funcionar de forma articulada e sinérgica: Programa de Exposições (com exposições permanentes e temporárias), Programa Institucional (administrativo), Programa de Acervos (documental e museológico), Programa Cultural e Educativo (privilegiando uma programação cultural intensa no museu e no parque, e a interrelação democrática com públicos variados), Programa de Pesquisa (ampla pesquisa sobre os acervos, subsidiando a reinterpretação das coleções e o planejamento de novas exposições e ações educativas), Programa de Comunicação, Programa de Arquitetura e Programa de Segurança.

O Plano Museológico do Museu Histórico da Cidade terá forte compromisso com a dimensão social do museu e procurará valorizar múltiplas visões da cidade, desde o patrimônio histórico, artístico e natural, até aspectos daantropologia, sociologia e cultura.