Os parques urbanos

Cristina Lodi

Arquiteta, mestre em Preservação e Conservação Histórica pela Columbia University - Graduate School of Architecture, Planning and Preservation (MS) e especialista em Patrimônio Cultural.​​

Parques e Paisagens Cariocas: uma contribuição para a sustentabilidade urbana no século XXI

Em 2012, a Paisagem Cultural do Rio foi inscrita na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO, em ato inédito, por ser essa a primeira paisagem urbana da Lista, a qual agrega os patrimônios culturais fundamentais para a preservação da memória da humanidade.

Os principais parques urbanos cariocas são os elementos estruturantes da paisagem inscrita: o Parque Nacional da Tijuca, o Parque da Cidade com o Museu, o Jardim Botânico, a entrada da Baía de Guanabara com o Pão de Açúcar, as bordas d’água desenhadas dos Parques do Flamengo, o Passeio Público e a Orla de Copacabana, os fortes históricos de Niterói e do Rio. A expressiva cultura urbana complementa os atributos físicos excepcionais dos parques públicos na caracterização da paisagem cultural carioca: a música, a dança, o lazer ao ar livre, entre outros.

Como consequência, a preservação da paisagem do Rio passou a integrar o Plano Diretor da Cidade, como uma importante diretriz da sua Política Urbana. Gerou ainda uma série de iniciativas em outros países, onde as paisagens e seus atributos físicos, sociais, ambientais e culturais passaram a ser pilares da sustentabilidade urbana.

A paisagem do Rio domina o seu território. Os seus parques definem os roteiros culturais e turísticos, que caracterizam o Rio como um museu de cidade.