Associação de Amigos do Museu Histórico da Cidade (AAMC)

A AAMC é uma associação civil sem fins lucrativos, com sede provisória no próprio MHCRJ. Foi fundada em 13 de julho de 1970, com o objetivo de “promover o aprimoramento e o desenvolvimento das atividades do Museu”. Desde então, a parceria com o MHCRJ e a comunidade do entorno gerou relevantes projetos.

Entre 1972 e 1974, a Associação viabilizou a realização de cursos de aperfeiçoamento em arte, história e museologia; 32 exposições temporárias de artistas contemporâneos e coleções particulares; a restauração interna e externa da Capela de São João, do tríptico de Antônio Parreiras e de itens da coleção de mobiliário; doação de mobiliário do gabinete de trabalho do prefeito Pereira Passos (pelo conselheiro da AAMC, Sr. Antônio Fernando Bulhões de Carvalho), doação de cadeirinha do séc. XVIII (pelo Banco Real, através do Sr. Carlos Francisco Ribeiro Lessa) e doação de peças de porcelana (pelo presidente da AAMC, Sr. Paulo Affonso de Carvalho Machado). Foram também organizadas apresentações de música como parte do projeto Música no Museu, que incluíam cestas para piquenique no Parque.

Em 2002, foi realizada uma exposição sobre o prefeito Pedro Ernesto e lançado o evento de arte Gávea Circular, com a participaçao de quarenta artistas, apresentações de teatro e música. Entre 2005 e 2007, foram realizados por meio da AAMC os projetos “Conservação das Imagens da Avenida Central”, de Marc Ferrez, visando a preservação de fotografias do acervo, e a “Restauração da Coleção de Gravuras Oitocentistas”. Ambos os projetos geraram exposições temporárias no museu. Saiba mais sobre esses projetos em Bastidores. Em 2007, com o apoio da AAMC, foi inaugurada uma sala de exposição permanente dedicada ao prefeito Pedro Ernesto, com mais de seiscentas peças doadas ao museu.

A Associação também viabilizou a execução de atividades técnicas de catalogação e acondicionamento de correspondências doadas ao Museu. Vários espetáculos teatrais e atividades musicais foram realizados entre 2002 e 2010, ano em que também ocorreu a doação de equipamento para a digitalização do acervo. Dentro do projeto de restauração do conjunto arquitetônico do museu, a Associação foi contemplada pelo edital Viva Cidade 2015, permitindo a conclusão da obra do palacete.