Apresentação

 

O Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro/MHCRJ foi criado como reflexo da expansão dos museus no século XIX e suas origens estão ligadas ao princípio da República no Brasil e ao papel de centro político que o Rio de Janeiro representava nesse contexto.

Desde 1891, as autoridades do governo recém-instalado manifestavam preocupação em recolher objetos representativos, que interessassem à história da cidade. Contudo, sua criação só ocorreu na administração do Prefeito Pedro Ernesto através do Decreto Nº 4989 de 11 de julho de 1934.

O MHCRJ sempre mostrou uma tendência a manter-se nos limites de seu objeto: a cidade do Rio de Janeiro. Entretanto, seu vasto acervo documental, arquivístico e museológico, com cerca de 24.000 peças, que significa um importante registro sobre a cidade do Rio de Janeiro e que abrange diferentes categorias, apresenta caráter nacional. Nele encontram-se também obras de artistas consagrados como Visconti, Thomas Ender, Antônio Parreiras, Armando Vianna, Augusto Malta e Marc Ferrez, além dos acervos dos prefeitos Pereira Passos, Pedro Ernesto, Carlos Sampaio e César Maia.

Ao pensarmos num museu de cidade, afora o aspecto cultural, vem a lembrança a questão daquela cidade onde está inserido, o espaço urbano, a memória e a importância do museu para a cidade, por ser o único que tem como propósito preservar e conservar a memória da cidade, que foi capital da colônia, império e república, através do seu acervo e principalmente ser um ponto de referência e discussão das transformações culturais, sociais, econômicas e urbanas da cidade do Rio de Janeiro ao longo de sua história.

O MHCRJ, por meio de um acervo artístico e documental acessível a todos, é um museu em que nossa história e nossa identidade urbana podem ser analisadas e explicadas.

Luciana Mota Gaspar

Gerente do Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro

Heloisa Helena Queiroz

Gerente de Museus / Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro